Ex_Machina: Instinto Artificial

Divulgação

O filme

Combinando ficção científica e mistério, "Ex_Machina: Instinto Artificial" (2015) nos apresenta a Caleb Smith (Domhnall Gleeson), um dos melhores programadores da empresa de tecnologia Blue Book, no momento em que ele descobre que foi o escolhido para participar de um projeto com o CEO e gênio da programação, Nathan Bateman (Oscar Isaac), pelo período de uma semana.

Nathan recebe Caleb em sua casa/fortaleza, localizada numa região remota do Alasca, onde nem sinal de internet chega perto. Nesse lugar também funciona o laboratório de pesquisas do executivo, o que faz com que ele mantenha consigo apenas a silenciosa Kyoko (Sonoya Mizuno), a sua ajudante para os assuntos do lar.

Quando encontra-se com o chefe, Caleb descobre que o seu papel no tal projeto é interagir, separado por uma parede de vidro, com um robô de aparência feminina, programado com Inteligência Artificial (IA) e chamado de Ava (Alicia Vikander). A ideia de Nathan é aplicar o conceito do Teste de Turing nas interações entre o rapaz e a robô e descobrir se, durante o processo, ele se esquece de que ela é uma máquina e passa a vê-la como um ser humano. A diferença entre o teste de Nathan e o de Turin é que, nesse caso, o humano verá a máquina enquanto conversa com ela (no de Turin, ele apenas ouve a voz). Se acontecer o que Nathan deseja, ele entenderá que criou o melhor e mais perfeito programa de IA do mundo, algo que o transformará numa espécie de Deus quando ele tornar pública a sua invenção.

As sessões começam e, desde a primeira troca de palavras, Caleb fica fascinado pelo jeito de Ava falar e interagir com ele (e nós, espectadores, com a interpretação de Alicia). À medida que essas conversas continuam, o jogo se inverte, com Ava pedindo que Caleb fale sobre ele para que ela possa conhecê-lo melhor. Como é de se esperar de um programa de IA que se preze, a máquina passa a usar as informações novas (um aprendizado que Nathan acredita ser supervisionado) para melhorar a sua capacidade de classificar situações e fazer previsões. Um exemplo disso é quando ela passa a flertar abertamente com Caleb só para descobrir, pelas microexpressões faciais do rapaz, se ele se sente atraído por ela.

 
"Mary é o computador no quarto preto e branco; o humano é quando ela sai de lá."

Cada dia mais impressionado, Caleb quer saber como Ava foi criada. Nathan, então, explica-lhe que, para desenvolver o software, ele coletou (ilegalmente) vozes e expressões faciais de pessoas de todo o planeta, nos microfones e câmeras de celulares delas. Ele também se apossou dos dados dos usuários de sua empresa, a Blue Book, que nada mais é do que a ferramenta de busca online mais usada no mundo (a Google da ficção). De posse dessa massa volumosa e variada de dados, o talentoso programador desenvolveu o código de Ava, deixando-o tão próximo da realidade quanto acreditou ser possível. Em outras palavras, Nathan colocou Big Data a serviço de seu programa de Inteligência Artificial.

Sobre a criação da parte física (o hardware) da robô humanóide, basta dizer que ele foi tão convincente que esse filme ganhou o Oscar de Efeitos Visuais, em 2016.


"A chegada da inteligência artificial tem sido inevitável há décadas. A variante era 'quando', não 'se'.  Eu não vejo Ava como uma decisão, mas como uma evolução."


O teste segue o seu rumo até que uma declaração do chefe deixa Caleb desconfortável com a situação em que se encontra. Tal como acontece na vida real, em que softwares e hardwares passam por aperfeiçoamentos e são atualizados, Nathan tem os mesmos planos para Ava, o que significa que boa parte da memória dela será apagada, incluindo as conversas com Caleb. A partir desse instante, começam os problemas para os poucos personagens dessa história tão intrigante...


As locações

De acordo com o roteiro, a história de "Ex_Machina" acontece em Nova York e no Alasca. As filmagens, no entanto, foram feitas na Inglaterra e na Noruega.

A primeira cena, em que Caleb está no escritório e recebe a notícia de que ganhou o concurso para trabalhar com Nathan, foi rodada nas antigas dependências londrinas do Bloomberg Offices: 50 Fisbury Square, em Broadgate. Hoje, o endereço dessa empresa é 3 Queen Victoria Street (perto da St. Paul´s Cathedral e da London Tower).

casa de Nathan é a locação mais impressionante do filme e onde quase tudo acontece. Para ambientá-la, a produção fez uso de dois espaços noruegueses: o Juvet Landscape Hotel, localizado numa região florestal de Valldal, a cerca de 563 km de Oslo; e a Summer House (ou Fjøra House), que fica em Stofjord, uma cidade à 1.378 km de Valldal. Ambas contruções foram concebidas pelos arquitetos da Jensen & Skodvin, o que faz com que, ao vê-las na tela, nós pensemos se tratar de um único espaço.

O Juvet Landscape Hotel fica às margens do rio Valldøla e próximo das cachoeiras de Gudbrandsjuvet, ambos mostrados em cena.

Quanto ao escritório da casa de Nathan, de onde ele observa as interações diárias entre Caleb e Ava, ele foi construído no Pinewood Studios, na Inglaterra, o mesmo estúdio dos filmes de James Bond.


Para concluir

Escrito e dirigido por Alex Garlang, "Ex_Machina" foi um dos concorrentes ao Oscar de Melhor Roteiro Original, em 2016. Ele é um daqueles filmes que chegam sem fazer muito barulho, mas que merecem a sua audiência e atenção concentrada por uma série de motivos: a história é muito bem contada; as conversas entre Nathan & Caleb e entre Caleb & Ava são instrutivas e envolventes (seja você um apreciador ou não de tecnologia); e o final é bem perturbador, de fazer você ficar pensando nele por muuiitto tempo. Prepare-se! 




Comentários

CONFIRA TAMBÉM:

"Estômago", filme de primeira e locações em Curitiba

Sex and the City 2: Abu Dhabi x Marrakesh

221B Baker Street - o famoso endereço de Sherlock Holmes e Dr. Watson

Filme de viagem: "O Turista" no Hotel Danieli, em Veneza

Roma em "Comer, Rezar, Amar"

"007 - Cassino Royale" e as locações em Veneza

"O Código Da Vinci" em Paris e Londres

Verona e Siena em "Cartas para Julieta"