221B Baker Street - o famoso endereço de Sherlock Holmes e Dr. Watson

Fotos: Fran Mateus

" Nós nos encontramos no dia seguinte, conforme o combinado, e inspecionamos os aposentos da Baker Street, 221B, sobre os quais havíamos falado na véspera. Eram dois dormitórios confortáveis e uma sala de estar espaçosa e arejada, mobiliada com jovialidade e iluminada por duas amplas janelas. 

O encontro memorável entre Sherlock Holmes e Dr. Watson para olharem juntos os aposentos do 221B da Baker Street aconteceu em 1881, "seis anos antes" de Arthur Conan Doyle ter Um Estudo em Vermelho publicado. Desde então, esse endereço se tornou o mais associado ao célebre detetive-consultor e um dos mais visitados de Londres. Foi dele que Holmes e Watson saíram, incontáveis vezes, em busca de aventura, e de onde, através das amplas janelas do seu primeiro andar, viram muitos invernos castigarem tantos os humanos que ousavam deixar as suas casas para bater naquela porta como os cabriolés que estacionavam na sua frente. 

O movimento em torno do imóvel da Sra. Hudson se dava porque, além de servir de lar para dois homens que precisavam dividir o aluguel, ele também havia sido transformado num home office para Sherlock Holmes, que nem bem se mudou e já inaugurou a sala de estar recebendo os seus clientes. Naquele espaço, o detetive escutou problemas de todos os tipos, dos mais complexos ou bizarros aos mais elementares (esses, ele conseguia resolver sem precisar colocar os pés na rua). Uma parte desses casos foi apresentada a Holmes por investigadores da Scotland Yard, entre os quais estavam Lestrade e Tobias Gregson, os dois que mais trabalharam em parceria com ele. Os outros casos chegaram até o detetive através de particulares, como Mary Morstan, em O Sinal dos Quatro; Dr. Mortimer, no interesse de Henry Baskeville, em O Cão dos Baskevilles; e o Grão-duque da Boêmia, em Escândalo na Bôemia, só para mencionar algumas das histórias mais conhecidas.

Exceto pelos anos de 1891 até 1894, quando foi dado como morto, Sherlock Holmes viveu na Baker Street por duas décadas. Em 1903, ele se aposentou e foi morar numa casa de campo, na agradável região de Sussex. Dr. Watson, por sua vez, dividiu o imóvel com o amigo de 1881 até 1888, quando casou-se com Mary Morstan. Em 1895, ele retornou, viúvo, aos aposentos de solteiro; mas mudou-se de novo, em 1903, aparentemente, casado pela segunda vez.

Hoje em dia, muita gente que visita a Baker Street não tem ideia de que, em 1887, quando Conan Doyle introduziu o endereço em sua história, o 221B não existia na rua. Naquela época, os números ali só chegavam até a casa dos 80. Foi na década de 1930 que a Baker Street foi expandida e ganhou os números da casa dos 200. Mas, mesmo assim, nem sinal do 221B. Esse só foi “incluído” na área, meio que a força e entre os números 237 e 241, na década de 1990, para que o imóvel escolhido, um edifício datado de 1815, com quatro andares e estilo georgiano, se passasse pela famosa residência e abrigasse um museu dedicado aos seus "antigos moradores".

O Museu Sherlock Holmes foi fundado em 27 de março de 1990, exibindo uma coleção de móveis da era vitoriana e objetos de uso pessoal de Holmes, Dr. Watson e Sra. Hudson. O seu acervo também conta com estátuas de cera de personagens das histórias de Doyle, como Jabez Wilson, de A Liga dos Ruivos; Neville St. Clair, de O Homem do Lábio Torcido; Irene Adler e o futuro rei da Boêmia, de Escândalo na Boêmia; Grimesby Roylott, de A Banda Pintada; o mordomo Brunton, de O Ritual Musgrave; o temido Professor Moriarty, de O Problema Final e O Vale do Medo; Charles Milverton, o chantagista profissional de A Aventura de Charles Augustus Milverton; e Lady Frances, ao lado de Holmes e Watson, de O Caso do Desaparecimento de Lady Frances Carfax.

Apesar de ser o endereço oficial de Sherlock Holmes e Dr. Watson, o 221B da Baker Street não costuma ser exibido no cinema ou nas séries de tevê. Talvez pela quantidade diária de pessoas que visitam o museu ou pelo espaço apertado e reduzido, esses veículos tenham preferido outras áreas londrinas para ambientar a casa dos dois. Guy Ritchie, por exemplo, recriou a moradia em Greenwich, para o filme Sherlock Holmes (2009); e Mark Gatiss e Steven Moffat, idealizadores da série Sherlock, optaram por uma townhouse da North Gower Street, localizada a 2 km do endereço original.


Anote: 

sherlock-holmes.co.uk

221B Baker Street; metrô: Baker Street


Comentários

CONFIRA TAMBÉM:

"Estômago", filme de primeira e locações em Curitiba

Sex and the City 2: Abu Dhabi x Marrakesh

Filme de viagem: "O Turista" no Hotel Danieli, em Veneza

Roma em "Comer, Rezar, Amar"

"007 - Cassino Royale" e as locações em Veneza

"O Código Da Vinci" em Paris e Londres

Verona e Siena em "Cartas para Julieta"