"...E Deus Criou a Mulher"

Bridget Bardot em Saint-TROPEZ
Foto: Divulgação
(Et Dieu... Créa la Femme)

Assisti "E Deus Criou a Mulher" dia desses, com calma e tentando entender o papel que ele teve na carreira de Bridget Bardot. Quando acabou, lembro de ter pensado: se o filme é carregado de sensualidade até para os nossos dias, como será que a sociedade - francesa e mundial - o acolheu nos idos 1956? Fato é que depois dele, Bardot deixou de ser apenas uma atriz para virar um mito do cinema, um verdadeiro símbolo sexual. A sua primeira cena já é de uma ousadia imensa. Por trás de um lençol, ela, jovem e nua, bronzeia o seu corpo. Do outro lado, um homem maduro a cobiça. Durante o filme, muitos homens a cobiçam, e ela, interpretando Juliette, uma mulher de espirito livre, sente todo o prazer e nenhuma culpa em ser desejada. As consequências dos seus atos liberais são o estopim do filme e amplamente explorados até o último minuto da história.
Minha conclusão é de que "Deus criou a mulher e Roger Vadim criou Bridget Bardot", quando lhe deu essa personagem tão provocante. Obviamente, não deixo de considerar o papel da própria atriz para firmar-se como uma das mulheres mais desejadas do mundo, comparada a ninguém menos que Marilyn Monroe. Sua força continua tão grande que, até hoje, quando se pensa em seu nome, a imagem de sedução sobrepõe a de ativista humanitária e defensora dos animais, que foi o que ela se tornou a partir de 1973, quando abandonou as telas por algo que considerava mais relevante para a sua vida.
Bridget Bardot também foi responsável pelas suas próprias 'criações'. A praia de Saint-Tropez já era bem frequentada, claro, mas ficou eternamente associada à imagem da diva desde que o filme de Vadim se transformou num sucesso. BB, por sinal, mora por lá, numa residência chamada Madrague (Madrague by Wikigogo), o que faz com que fãs do mundo inteiro peregrinem até o local, com a esperança de vê-la e fotografá-la. Aqui no Brasil, a praia de Armação de Búzios, no Rio de Janeiro, também virou ponto turístico desde que BB a visitou, em 1964. É grande o número de pessoas que vão até lá para posar ao lado da estátua da estrela, um presente da cidade para a mulher que colocou o lugar na rota turística internacional.
Saiba mais detalhes sobre as locações do filme de Roger Vadim, por sinal, o primeiro marido da estrela, através do site IMdb. Eu ainda não conheço Saint-Tropez, mas se você já esteve por lá, não deixe de nos escrever e contar como foi a experiência. Au revoir, mon ami!

Comentários

CONFIRA TAMBÉM:

"Estômago", filme de primeira e locações em Curitiba

Sex and the City 2: Abu Dhabi x Marrakesh

221B Baker Street - o famoso endereço de Sherlock Holmes e Dr. Watson

Filme de viagem: "O Turista" no Hotel Danieli, em Veneza

Roma em "Comer, Rezar, Amar"

"007 - Cassino Royale" e as locações em Veneza

"O Código Da Vinci" em Paris e Londres

Verona e Siena em "Cartas para Julieta"