Babilônia californiana


O filme "Babilônia" (2022) faz uma leitura da indústria do cinema dos anos 1920 até 1950, sob a ótica do diretor e roteirista Damien Chazelle, o mesmo de "La La Land: Cantando Estações" (2016).

Nessa estória, ao longo de quase 3 horas de duração, o cinéfilo convicto irá identificar muitas referências ao universo hollywoodiano do começo do século passado. Por exemplo, a presença de um elefante, nos primeiros minutos de ação, pode lembrá-lo de uma cena do clássico "Intolerância" (1916). 

Outra referência mostrada de imediato é a preferência dos executivos, produtores e artistas famosos de então por residências isoladas nas montanhas dos arredores de Los Angeles; um padrão mantido até hoje entre astros e estrelas do cinema que podem bancar esse luxo.

Damien Chazelle aproveita a referência imobiliária para nos apresentar aos principais personagens de sua história numa dessas mansões remotas. Primeiro, o diretor nos mostra aquele que serve de elo para entendermos os principais acontecimentos e mudanças ocorridas em Hollywood ao longo do tempo: Manny Torres (Diego Calva), um imigrante mexicano e faz-tudo profissional que é tanto inteligente quanto iludido com as pessoas e o ambiente em que circula.

Manny trabalha para um figurão do cinema, que está promovendo uma daquelas festas espetaculares e permissivas, que quase todos nós já ouvimos falar que aconteceram naquela Los Angeles ainda em formação. É nela, com o seu ritmo frenético, música ensurdecedora, bebida à vontade, drogas liberadas e onde todo mundo é de todo mundo, que conhecemos os outros personagens importantes para a trama: o astro Jack Conrad (Brad Pitt), a aspirante a estrela Nellie LaRoy (Margot Robbie), o saxofonista Sidney Palmer (Jovan Alepo), a colunista Elinor St. John (Jean Smart) e a performer Lady Fay Zhu (Li Jun Li).

O roteiro de Damien começa com uma pegada cômica, na época do cinema mudo, quando Conrad e Fay Zhu são celebrados pelo público, e LaRoy e Palmer conseguem seus momentos de glória. No entanto, quando a indústria do entretenimento ganha som e "O Cantor de Jazz" (1927) é lançado, as coisas mudam vertiginosamente. Os espectadores também sentem a mudança pois precisam testemunhar a transição de uma estória divertida para o drama, com cenas que dão uma noção do que, provavelmente, aconteceu com muitos profissionais do cinema daquela Hollywood competitiva e instável. Um desses destinos, por sinal, é tema do filme "Crepúsculo do Deuses" (1950).

📹

Sobre os lugares exibidos na tela, sugiro dois bem interessantes para quem quiser se aventurar a viajar para Los Angeles e, de lá, para Del Sur, ambos na Califórnia, para conhecê-los. 

Primeiro, os estúdios da Paramount, presente em algumas cenas e no final da história. Ele é acessível e aberto ao público para visitação. Confira os dias, horários e preços dos ingressos no site (5515 Melrose Avenue). 

Segundo, a mansão da festa de arromba do início do filme. Ela se chama Castle Ranch e fica no 44901 da da Faimont Road, em Del Sur. Para você ter uma ideia de distância, leva cerca de 2 horas desde a Hollywood Boulevard, em LA, para chegar lá (confira no mapa). Um aviso: essa é uma propriedade privada; então, você precisa querer muito ir até lá só dar uma conferida no exterior da locação.

📹

"Babilônia" tem dividido opiniões de críticos e de espectadores, mas deve ser indicado para muitas premiações este ano. Pessoalmente, eu gostei da imaginação criativa de Chazelle e de suas escolhas tanto fotográficas como de elenco.

Os atores principais estão excelentes em seus papeis, com Brad Pitt transitando da comédia (quesito em que tira nota 10 em qualquer filme em que apareça) para o drama de forma crível e digna de um ator completo; Margot Robbie sendo a escolha mais que perfeita para passar as emoções intensas que a estória exige; e, no meio desses dois, Diego Calva nos lembrando de que meros mortais acertam, erram, acertam, erram, acertam ... 

O momento que menos curti foi quando, mais de duas horas depois de história rolando, o personagem James McKay (Tobey Maguire) entrou em cena e o diretor decidiu se prolongar em algo que, creio eu, poderia ser feito com a mesma tensão, mas de forma mais agradável para a plateia.

No site da IMDb, a minha avaliação foi 8.

 

Comentários

CONFIRA TAMBÉM:

"Estômago", filme de primeira e locações em Curitiba

Sex and the City 2: Abu Dhabi x Marrakesh

221B Baker Street - o famoso endereço de Sherlock Holmes e Dr. Watson

Filme de viagem: "O Turista" no Hotel Danieli, em Veneza

Roma em "Comer, Rezar, Amar"

"007 - Cassino Royale" e as locações em Veneza

"O Código Da Vinci" em Paris e Londres

Verona e Siena em "Cartas para Julieta"