"Os Brutos Também Amam" (Shane) no Teton Park

Fotos: Paramount Pictures

Por Fran Mateus
(Post em homenagem aos 9 anos do blog Viagem de Cinema)

Eu conhecia um pouco da história de "Os Brutos Também Amam" (Shane, 1953) através da leitura de livros sobre cinema com recomendações sobre os melhores filmes de todos os tempos. Apesar dele ser um dos indicados como tal, eu não o assisti até ver cenas, referências e frases suas no ótimo "Logan" (2017). Foi quando decidi que já estava mais do que na hora de conferir essa história sobre a amizade entre Shane (Alan Ladd), um pistoleiro em fase pacífica, e o garotinho Joey (Brandon De Wilde).

Na cena inicial, Shane aparece cavalgando do Sul de Jackson Hole, em direção ao seu Norte. Pelo caminho, ele precisa cruzar as terras dos Starretts, o casal Joe (Van Heflin) e Marian (Jean Arthur), pais de Joey. Ali, numa paisagem emoldurada pela Cordilheira Teton, o forasteiro para, troca algumas palavras com pai e filho, dá apoio moral a família ao vê-la ser ameaçada por Rufus Ryker (Emile Meyer), aceita o convite para o jantar e acaba ficando. Quem curte essa ideia é Joey, que passa a ver Shane como seu ídolo e o segue por onde quer que ele ande.

Jackson Hole fica no Estado de Wyoming, Estados Unidos

Já como funcionário de Starrett, Shane vai ao armazém e bar do vilarejo local e, involuntariamente, acaba se envolvendo em encrenca. A fim de evitar briga, ele sai sem responder aos insultos de Chris Calloway (Ben Johnson), um dos capangas de Ryker. Dias depois, ao retornar ao estabelecimento, Shane limpa a sua imagem perante Joey saindo no braço com o valentão que o provocou. Quando Starrett junta-se a ele, os dois dão uma surra em todos os brigões do local, incluindo o próprio Ryker. É quando este decide que está na hora de contratar um pistoleiro profissional, materializado na figura de Jack Wilson (Jack Palance). Ryker quer as terras de todos os fazendeiros locais e não pretende medir esforços para conseguir isso, nem que precise mandar Wilson matar um por um, especialmente Starrett, que é quem mantém os demais unidos.

Apesar dessa premissa de aparente violência, o que o diretor George Stevens quis mesmo foi criar um faroeste em que pudesse mostrar a sua intolerância a qualquer tipo de imposição dos mais fortes sobre os mais fracos. Ele ainda estava horrorizado com a capacidade de destruição das armas que tinha presenciado nos campos de batalha, durante a II Guerra Mundial, e usou esse filme como uma forma de se posicionar em favor da paz.

Fonte: 20th Century Fox

Voltando a "Logan", nele o diretor James Mangold mostra Charles (Patrick Stewart) assistindo ao filme de Stevens e fazendo comentários saudosos para Laura (Dafne Keen). Dias depois, a menina repete, numa cena carregada de emoção, uma fala dita por Shane a Joey:

O homem tem que ser o que ele é, Joey. Não se pode quebrar os moldes. Eu tentei, mas não deu certo. Não há vida depois de matar. Não dá para voltar atrás. Certo ou errado, é como uma marca. Uma marca que fica. Agora, vá para casa e diga à sua mãe que está tudo bem. Diga que não há mais armas no vale.  

"Os Brutos Também Amam" foi um dos filmes mais amados da sua época e passou no teste do tempo, com várias gerações se emocionando com ele. E eu acredito que depois da sua presença em "Logan", uma nova safra de espectadores, assim como aconteceu comigo, também tenha tido interesse em conhecê-lo.

"Shane! Come back!
Que atire a primeira pedra quem não se emocionou com esse pedido desesperado do pequeno Joey, acompanhado pela trilha sonora de Victor Young.

"Os Brutos Também Amam" foi rodado em locações e em estúdio

George Stevens ambientou o seu filme em Jackson Hole, nas terras onde está o magnífico Grand Teton National Park. Ali foram construídas as casas da família Starrett e dos demais fazendeiros, além da vila com o hotel, o armazém e a loja de Sam Grafton (Paul McVey). As exceções ficam por conta das cenas filmadas num dos estúdios da Paramount, em Los Angeles. Uma delas é a da briga entre Shane e Joe, quando o primeiro quer evitar que o segundo vá encontrar-se com Ryker e Wilson e, consequentemente, cair numa armadilha.


Confira (check this out)





  • O vídeo do canal "Travels with Pill", que mostra uma visita a locação do filme no Teton Park.
  • O documentário Five Came Back, na Netflix. Nele, o trabalho de George Stevens, durante a II Guerra Mundial, é apresentado ao lado do de outros diretores: John Ford, William Wyler, John Huston e Frank Capra.
  • As locações de Shane no blog "Best of the Tetons".



Comentários

  1. Muito bom. Não havia visto esse filme. A interaçáo entre os atores fez a diferença. Claro que Shake teve uma participação especial. Pena o final triste de Allan apesar dos filhos e dos 2 amigos. Isso prova que cada um ter que ser seu melhor amigo e estar sempre presente. Melhor ainda é buscar a presença de Deus o amigo eterno.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Fale conosco

CONFIRA TAMBÉM:

"Estômago", filme de primeira e locações em Curitiba

Sex and the City 2: Abu Dhabi x Marrakesh

221B Baker Street - o famoso endereço de Sherlock Holmes e Dr. Watson

Filme de viagem: "O Turista" no Hotel Danieli, em Veneza

Roma em "Comer, Rezar, Amar"

"007 - Cassino Royale" e as locações em Veneza

"O Código Da Vinci" em Paris e Londres

Verona e Siena em "Cartas para Julieta"