Rota do glamour carioca: do Copacabana Palace ao Cassino da Urca

 
Você consegue imaginar o que era a cidade do Rio de Janeiro, entre as décadas de 1930 e 1940? Naquela época, os grandes nomes de Hollywood que visitaram a cidade fizeram, quase sem exceção, a rota do glamour: hospedaram-se no Copacabana Palace e divertiram-se no Cassino da Urca.
 

O “Copa”, como o luxuoso hotel ficou conhecido, foi inaugurado em 1923. Mas foi somente depois de aparecer no “Voando para o Rio”, lançado em 1933, que o hotel entrou na lista de desejos dos famosos do mundo inteiro. No filme, se Gene Raymond e Dolores Del Rio interpretam o par romântico, Fred Astaire e Ginger Rogers são quem roubam a cena: ao som de “The Carioca”, eles dançaram juntos pela primeira vez e, a partir de então, entraram para a história do cinema como o casal mais cultuado dos musicais. O hotel ganhou muito com esta publicidade hollywoodiana e, desde então, personalidades do cinema, da política, dos negócios e das artes andaram assinando o livro de ouro da elegante casa. Entre os meus hóspedes favoritos estão Orson Welles, Ava Gardner, Princesa Diana, Francis Ford Coppola e Robert de Niro.
Foto: Fran Mateus

A noite carioca das décadas de 1930 e 1940, por sua vez, tinham nos cassinos da cidade o destino da turma endinheirada de então. Dentre todos, o Cassino da Urca se destacou como o mais luxuoso e badalado. O antigo balneário surgiu como casa de jogos de azar por volta de 1933. A fama internacional aconteceu a partir de 1938, quando, depois de se tornar conhecido pelos espetáculos com “E” maiúsculo que apresentava em seus palcos (e tendo Carmen Miranda como sua principal atração nacional), ganhou uma menção no artigo “Life goes to a nightclub in Rio”, da revista americana Life. Entre os seus frequentadores ilustres figuraram Tyrone Power (1938), Walt Disney (1940) e, Orson Welles, em 1942 (após a repercussão, para o bem e para o mal, de “Cidadão Kane”). Aqui, o inteligentíssimo Welles tentou filmar “É Tudo Verdade”, um documentário nunca acabado pelas mãos do diretor. Quer ter o gostinho de ver o cassino num filme? A dica é assistir o desenho animado “Alô, Amigos” (1942), de Walt Disney. O belo edifício de tons claros aparece na cena final, como que dando um ‘tchau’ para o Rio de Janeiro. Joaquim Rolla, o principal administrador da casa, precisou fechar as portas do prédio, em 1946, quando os jogos foram proibidos no Brasil. Atualmente, o local está sendo reformado para ambientar o Istituto Europeo de Design. Para os saudosos, fazer um curso ali será a chance de voltar no tempo, a uma época de glamour inigualável!

Eu, posando na praia da Urca, aos pés do antigo cassino. Em outra época, eu teria dado de cara com Tyrone Power, Carmen Miranda ou Orson Welles. Bons tempos que não voltam mais!

Fotos da cena de "Voando para o Rio" (Divulgação)
Cassino da Urca, pôster Carmen Miranda e Orson Welles (Acervo O Globo)

Comentários

CONFIRA TAMBÉM:

"Estômago", filme de primeira e locações em Curitiba

Sex and the City 2: Abu Dhabi x Marrakesh

221B Baker Street - o famoso endereço de Sherlock Holmes e Dr. Watson

Filme de viagem: "O Turista" no Hotel Danieli, em Veneza

Roma em "Comer, Rezar, Amar"

"007 - Cassino Royale" e as locações em Veneza

"O Código Da Vinci" em Paris e Londres

Verona e Siena em "Cartas para Julieta"