"Novo Cinema Argentino", por Christian Petermann

Christian Petermann e alguns alunos do curso.

Recentemente, participei do curso “O Novo Cinema Argentino”, ministrado pelo talentoso crítico de cinema, Christian Petermann, e realizado pela Casa do Saber, em São Paulo. Antes do curso, eu já considerava o cinema do país vizinho muito interessante. Depois das aulas de Petermann, eu assisti outros filmes portenhos e passei a respeitar muito mais as ‘películas’ rodadas em Buenos Aires e em outras locações da Argentina.

Minha relação com o cinema argentino começou com “Nove Rainhas” (Nueve Reinas), em 2001, durante um curso de espanhol. O filme do diretor Fabián Bielinsky nos apresenta à divertida história de dois picaretas, Marcos (Ricardo Darín) e Juan (Gastón Pauls), que planejam dar o golpe que deve mudar as suas vidas. Os malandros correm meia Buenos Aires em busca de uma coleção de selos falsificados (as Nove Rainhas) para vendê-los para um comprador supostamente ingênuo. O filme ganhou 7 Condor de Prata, considerado o Oscar argentino.


Meu passeio por Buenos Aires e seus bairros residenciais continuou com o fantástico Juan José Campanella. Dele, assisti: “O Filho da Noiva”, “O Mesmo Amor, A Mesma Chuva” e “O Segredo Dos Seus Olhos”.


O Filho da Noiva (El Hijo de la Novia, 2001). O ganhador de 6 Condor de Prata e do Goya espanhol foi considerado a maior bilheteria da produção cinematográfica argentina.  O filho do título é Rafael Belvedere (Ricardo Darín), um dono de restaurante tão atarefado que vive adicionando responsabilidades à sua vida e diminuindo tempo livre para dedicar a sua família, amigos e noiva. Ele sofre um ataque cardíaco e, de quebra, ganha a oportunidade de repensar como está conduzindo a sua própria vida.


Uma de suas ações como bom filho é o de atender o pedido de seu pai (interpretado pelo excelente Hector Alterio) que quer casar-se ‘de novo’ com a sua mãe (numa atuação singela e maravilhosa - ao mesmo tempo - de Norma Aleandro). É difícil segurar as lágrimas.


O Mesmo Amor, A Mesma Chuva (El Mismo Amor, La Misma Lluvia, ano). Numa noite chuvosa dos anos 80, Jorge (Ricardo Darín) e Laura (Soledad Villamil) se conhecem, apaixonam-se, vivem juntos e, por medo da parte dele, separam-se.  Desde então, entre encontros e desencontros, o tempo passa e o casal segue suas vidas tomando rumos bem diferentes. Até que um dia, numa outra noite, a chuva volta a cair sobre os dois. Ganhou 7 Condor de Prata.


O Segredo Dos Seus Olhos (baseado no romance La Pregunta de Sus Ojos, de Eduardo Sacheri). Aqui passeamos pela Buenos Aires dos crimes e da justiça, dos estádios de futebol, das cafeterias e das estações de trem. Campanella repete a dobradinha Roberto Darín e Soledad Villamil, nesta misteriosa trama que tem como pano de fundo a tentativa de Benjamín Espósito em solucionar um crime de mais de 25 anos, enquanto se consome pde amor por Irene, sua chefa no Juizado onde ele trabalhava, antes de aposentar-se.  Para mim é o melhor filme argentino de todos os tempos!


Medianeras - Buenos Aires na Era do Amor Virtual, da nova promessa argentina, Gustavo Taretto. Mariana (Pilar López de Ayala) e Martin (Javier Drolas) são dois jovens solitários que moram na Avenida Santa Fé. Ela, uma arquiteta que nunca construiu nada e trabalha como vitrinista, habita o apartamento G, do 8º andar do edifício de número 1.183. Ele, um webmaster que vive ilhado em seu apartamento de 40 metros quadrados, mora apartamento H, 4º andar do número 1.105.

Os dois vivem próximos, frequentam os mesmo lugares, mas nunca se encontram. Como diz no próprio filme, "a cidade que os une é a mesma que os separa".  É uma delícia moderna da produção cinematográfica argentina. À proposito, na Ave. Santa Fé, número 1860, está localizada aquela que é considerada a mais bela livraria de Buenos Aires,  "El Ateneo", instalada num antigo teatro da metrópole portenha. 



Não é Você, Sou Eu (No Sos Vos, Soy Yo, 2004), de Juan Taratuto. Uma divertidíssima comédia romântica sobre a história de Javier (Luis Brandoni), que é abandonado pela esposa  Maria (Soledad Villamil),  justo quando vende tudo em Buenos Aires e tenta mudar-se para os Estados Unidos para juntar-se a ela. O coitado passa maus bocados até conseguir tirar a mulher do coração.

O Abraço Partido (El Abrazo Partido), de Daniel Bruman. Daniel (Daniel Hendler, ganhador do Urso de Prata de Melhor Ator em Berlim) é um jovem de vinte e poucos anos que vive com a mãe e a ajuda na sua loja de lingerie, localizada numa galeria que é a principal locação do filme.  O seu maior desejo é conseguir a nacionalidade polonesa para mudar-se para a Europa. Secretamente, ele quer muito saber do seu pai, que o abandonou quando bebê, apesar de dar sinais visíveis de que o ignora.

Daniel corre enlouquecido pelo centro de Buenos Aires,
assim que avista o pai pela primeira vez.

Filmados no interior da Argentina, assisti duas excelentes produções:  A Janela (La Ventana, 2008), de Carlos Sorín e A Menina Santa (La Niña Santa, 2004), de Lucrecia Martel.


‘A Janela’ foi rodado na região da Patagônia, em Baía Blanca, na estância de San Juan. Lá, numa agradável casa rosa, mora Antonio (interpretado pelo uruguaio Antonio Larreta). Naquele que deve ser o seu último dia de vida, o velho escritor aguarda, com ansiedade e sob o controle do médico e das suas duas empregadas, a chegada de seu filho, um famoso pianista que vive na Europa. Com Antonio, damos um passeio pela estância, tomamos uma taça de vinho e admiramos o rosto da babá que tomou conta dele, na sua infância, para que seus pais pudessem ir a um baile. É um filme para pensar sobre a velhice e para emocionar sem pieguices.




‘A Menina Santa’ foi feito na cidade de La Ciénaga e nos apresenta a Amélia (Maria Alché), uma garota que mora no hotel gerenciado pela sua mãe e que canta no coro da igreja. Um dia, ela é molestada por um médico e passa a crer que a sua missão na Terra seja a de salvá-lo. A intensão é boa, mas a estratégia da menina é bem ousada.


Ainda falta eu conhecer muita coisa desses diretores e tudo da filmografia de outros nomes de peso,  que nos foram apresentados por Petermann, dentre eles: Marcelo Piñeyro (“Cavalo Selvagem”), Adolfo Aristarain (“Um Lugar no Mundo”), Lucía Puenzo (“X,X,Y”), Paula Hernández (“Herência”), Pablo Trapero (“A Família Rodante” e “Abustres”) e Fernando E. Solanas (“A Viagem”).

Depois desta imersão no universo cinematográfico argentino, fiquei com um imenso desejo de dar um pulo em Buenos Aires e cidades adjencentes, para apreciar, com muito mais leveza, os cenários  - urbano e campestre - da Argentina.

"O Novo Cinema Argentino" foi uma experiência e tanto. Meus parabéns ao Petermann!

Comentários

  1. Fran,

    Estas postagens sobre o Curso de Cinema são muito atraentes!

    Acho que farei futuramente...
    bjs
    Shirley

    ResponderExcluir
  2. Fran...sua cara esse curso!!!!

    Que demais! Você tem que ir para a Argentina mesmo para apreciar as cidades, tirar várias fotos e postar aqui pra gente sentir um pouquinho da sua experência. ;)

    Bjo bjo bjo

    Jaquinha

    ResponderExcluir
  3. Interessante mesmo Fran! E vc está virando uma especialista no mundo do Cinema! Quando eu tiver dúvidas, já onde ir e a quem recorrer..Ah..e onde estudar tbm:)

    ResponderExcluir
  4. Fran,

    Curti as postagens, e futuramente vou ter a oportunidade de conhecer a Argentina, e quando tiver lá claro buscando as dicas do blog....

    Bjs.....

    :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fran,

      Adorei os comentários sobre “O Novo Cinema Argentino”, afinal estou com muita vontade de conhecer a argentina e depois dessas dicas da princesa Fran estou super empolgado..

      Bjs Camila

      Excluir
  5. Cris Affonso17/08/2012, 18:55

    Fran... significa que você deve ir para Buenos Aires???

    SIGNIFICA!!!

    Tenho certeza que com isso você trará, como de costume, "aquele" entusiasmo para aqueles que estarão na próxima turma!

    Bjux

    Cris Affonso

    ResponderExcluir
  6. Marconi Gomes17/08/2012, 18:59

    Fran,

    eu não era muito fã de cinema feito em outros idiomas que não o Inglês e o Português, mas suas postagens tem muita qualidade e a linguagem que você utiliza torna acessivel o entendimento e faz despertar o interesse dos mais leigos ao mais experts por outras culturas. Parabéns e continue fazendo outros cursos como este....

    ResponderExcluir
  7. Turma, obrigada pelos comentários!!!! Minha postagem ficou muito mais rica com as suas palavras. Bjs.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Fale conosco

CONFIRA TAMBÉM:

"Estômago", filme de primeira e locações em Curitiba

Sex and the City 2: Abu Dhabi x Marrakesh

221B Baker Street - o famoso endereço de Sherlock Holmes e Dr. Watson

Filme de viagem: "O Turista" no Hotel Danieli, em Veneza

Roma em "Comer, Rezar, Amar"

"007 - Cassino Royale" e as locações em Veneza

"O Código Da Vinci" em Paris e Londres

Verona e Siena em "Cartas para Julieta"