Cafés portugueses: uns, históricos; outros, puro charme...

Eu sou uma apaixonada confessa por café. Adoro o sabor, amo o aroma e curto tudo que gira em torno desse precioso líquido, especialmente, quando o assunto é um pouco de intelectualidade.
 
Trocando algumas ideias para este blog
com Fernando Pessoa, numa mesinha do café 'A Brasileira'.
Conhecida por alguns dos cafés mais famosos da história da literatura, Lisboa concentra algumas das cafetarias* mais interessantes que se tem notícia entre os amantes dos cafés e dos livros, e eu não perderia a chance de conhecer tantas quantas fosse possível durante a minha visita a cidade.  

Começei meu tour no Chiado, na cafetaria "A Brasileira",
uma das mais famosas da capital portuguesa.
Point tradicional de artistas e intelectuais de outrora,
seu frequentador mais ilustre foi o poeta Fernando Pessoa.
Ainda inspirada pelo universo de Pessoa,
fui ao café Martinho da Arcada. A casa, aberta em
1782, também foi frequentada pelo povo do
mundinho literário. Que vontade de fazer parte deste grupo!
A cafetaria está localizada na Praça do Comércio, número 3.

A Pastelaria Cister fica em frente à Escola Politécnica, no Bairro Alto.
Pela pintura na parede, logo se percebe quem inspira o local: Eça de Queirós.
O escritor de "Os Maias" e "Primo Basílio" gostava de frenquentar
aquela parte da cidade em busca de inspiração.
Gostei do clima da casa (do café e do pastel de nata, então...)

Aberto em 1777, o Café Nicola foi frequentado por outro famoso 
nome da literatura portugues: Bocage.
Localizado no Rossio, o espaço vive movimentado o dia inteiro
e encontrar uma mesinha por ali virou um ato heróico.
O lugar merece a adoração da clientela!

O Café do Museu do Azulejo possui dois ambientes muito agradáveis:
um espaço interno (foto), com direito a muitos azulejos (faz sentido!) na decoração;
e, outro do lado externo, cercado de plantas e uma fonte inspiradora.
É o lugar ideal para tomar um café acompanhado de um bom livro
ou somente dos seus pensamentos.
O Café Padaria Quinoa foi um dos meus points preferidos em Lisboa.
Fui e repeti! Localizada na Rua do Alecrim, rua point de Eça de Queirós,
a decoração da padaria é moderninha, combinando prateleiras de cores alegres,
pisos em preto-e-branco e uma elegante escadaria de mármore
 (que faria bonito em qualquer igreja barroca do país).
Com tanta beleza visual, quase que esqueço de dizer que o
café e os pães de lá são deliciosos.

Eu preciso abrir meu coração: o Café Saudade é um dos lugares mais
agradáveis que existe no planeta (!) para se tomar um delicioso café.
Pudera: ele está localizado em Sintra, uma das vilas mais belas de
Portugal e do mundo, como bem disse o sábio poeta inglês, Lord Byron.
Fiquei tão encantada pelo ambiente que perdi a noção da hora...

Depois de conhecer espaços como estes, onde o aroma delicioso do café domina totalmente o ambiente e a decoração é carinhosamente pensada considerando o prazer que cada pessoa tem em estar em lugares assim, eu nem penso em mudar meu hábito: o café é e continuará sendo a bebida mais deliciosa que existe e visitar os seus templos de consumo são verdadeiras experiências degustativas! 

* Cafetaria, em Portugal; cafeteria, no Brasil.


Sobre os cafés de Paris, acesse:
http://viagemdecinema.blogspot.com/2011/02/paris-les-boulevards-e-seus-cafes.html

Comentários

CONFIRA TAMBÉM:

"Estômago", filme de primeira e locações em Curitiba

Sex and the City 2: Abu Dhabi x Marrakesh

221B Baker Street - o famoso endereço de Sherlock Holmes e Dr. Watson

Filme de viagem: "O Turista" no Hotel Danieli, em Veneza

Roma em "Comer, Rezar, Amar"

"007 - Cassino Royale" e as locações em Veneza

"O Código Da Vinci" em Paris e Londres

Verona e Siena em "Cartas para Julieta"