Paris, 'les boulevards' e seus cafés famosos


Que Paris é uma cidade linda, todos sabem... Que ela é repleta de monumentos históricos, museus grandiosos, belas praças, românticas pontes e da famosa torre, é falar do óbvio... Cada um tem a possibilidade de escolher a Paris que mais lhe agrada... para mim, por exemplo, o que há de melhor na Cidade-luz são os seus Cafés, e é sobre eles que vou escrever agora.


Existem duas regiões famosas "en la cité parisienne" pelos cafés e pela circulação de muita gente famosa - muitos intelectuais, e outros...nem tanto. São elas: Montparnasse e Saint-Germain-des-Pres.

A nossa primeira parada é o Boulevard du Montparnasse. A região sempre foi frequentada por nomes célebres - Cézanne, Zola, Picasso, Diego Rivera, Trotsky, Scott Fitzgerald e Lênin, só para citar alguns. Mas, à mon avis, o endereço entrou no mapa dos amantes do café quando Ernest Hemingway escreveu sobre ele, de forma tão apaixonada, em "Paris é uma festa" (leitura agradabilíssima, para ser feita em algum café de sua cidade).

O escritor americano caiu de amores pelo Closerie de Lilas, situado no número 171 do boulevard. O Closerie foi inaugurado em 1847 e, desde então, frequentado por muita gente talentosa. Só para se ter uma ideia, Monet, Renoir e Sisley, andaram discutindo as mudanças necessárias no mundo da pintura - como criar o Impressionismo - enquanto bebericavam o delicioso e fumegante líquido.

Outros points famosos desta parte da cidade são: o Le Dôme (inaugurado em 1905 e situado no número 108 do boulevard), o La Rotonde (inaugurado em 1911; número 105) e o La Coupole (inaugurado em 1927; número 102).

O nosso segundo endereço continua do lado esquerdo do Sena e trata-se do Boulevard Saint-Germain-des-Pres. Ali, quase colados uns aos outros, estão 3 cafés mundialmente conhecidos: o Café de Flore, o Les Deux Margots e a Brasserie Lipp.


Frequentado, no passado, por intelectuais como o casal Sartre e Simone de Beauvoir, o Café de Flore é o preferido, na atualidade, pelos famosos do mundinho fashion, que segue para lá, após os desfiles da temporada, para continuar 'vendo' e 'sendo visto'. Curiosidade: foi ali, entre uma xícara e outra, que Sartre escreveu "O Ser e o Nada".

Sobre o Deux Margots, fico imaginando Oscar Wilde por ali, bebendo e falando. Adoraria poder encontrá-lo e escutar algumas de suas frases espirituosas. Pena que ele já estava velho e amargurado quando andou pelos côtés de Saint-Germain-des-Pres...

Antes, durante e depois do seu "Pequeno Príncipe", Saint-Exupéry fez da Brasserie Lipp point obrigatório. Podemos concordar que o escritor francês - preferido de toda miss que preze seu título - tinha bom gosto. Mas, era a cerveja, e não o café, o motivo de suas andanças constantes pelo local.


Você deve estar se perguntando o que aquela gente falava tanto: de política, religião, filosofia e da vida alheia, mon ami. Ou seja, o que hoje consideramos temas polêmicos e politicamente incorretos de se discutir abertamente, aquele grupinho - que se tornou seleto - queria mais era ver o circo pegar fogo (ou melhor, uma xícara de café pegando fogo) e a indústria da mídia impressa progredir publicando seus livros e suas ideias revolucionárias!

Em 2009, eu fiz este que chamo 'O tour dos cafés'. Confesso que só de passar na frente de cada um deles, e de sentir aquele clima de intelectualidade (e o aroma delicioso vindo das xícaras...), eu já me sentia mais espirituosa e inteligente (rs!). E, quando sentei no Closerie e pedi o meu cafe au lait quentinho, realizei minha vontade de sacar meu moleskine e escrever minhas opiniões sobre tudo - e sobre nada (se Sartre podia...) - para então, quiçá, algum dia, mudar o mundo (rs! rs! e rs!).

Você deve estar pensando que eu sou uma sonhadora... mas, convenhamos, sou uma sonhadora que saboreou um bom café em algumas das melhores cafeterias do planeta... uma delícia... posso garantir!

Comentários

  1. ADOREI O SEU TEXTO. PARABÉNS!!! VC É UMA EXCELENTE ESCRITORA. MEU SONHO É CONHECER PARIS. IR AO "CAFÉ DE FLORE" A TARDINHA E BEBERICAR UM CAFÉ FAZENDO MIL CONJECTURAS SOBRE COMO ESTARIA DEBATENDO COM SARTRE SUAS OBRAS-PRIMAS.

    ResponderExcluir
  2. OBRIGADA PELA RESPOSTA FRAN. TB ESPERO PODER CONHECER PARIS EM BREVE E REALIZAR O SONHO DE ESCREVER UM ROMANCE NAQUELE AMBIENTE TÃO ROMANTICO. ABRAÇOS.

    ResponderExcluir
  3. Sensacional!! Acho que vc podera contribuir com o roteiro das minhas ferias. Estou aprovietando para me preparar aqui nos seus artigos. Valeu

    ResponderExcluir
  4. tereza campos27/08/2014, 09:42

    The Writer House está infundido com o espírito inovador, autêntico, pioneiro. E embora é orgulhosamente localizado em Campos do Jordão ,no Estado de São Paulo ,Brasil , ela não é apenas uma casa na estância de Campos do Jordão. É um portal localizado em território nacional através do qual os escritores,artistas, profissionais de comunicação e demais empreendedores se conectam com o mundo literário e demais áreas afins, um lugar que celebra as palavras mais inspiradores de escritores de todo o mundo e respira arte de um modo geral.
    Com a rápida evolução da tecnologia, os canais através dos quais o trabalho dos escritores é distribuído pode estar mudando, mas os escritores excepcionais ainda atraem grande número de leitores e aficionados nas artes . The Writer House terá que manter-se flexível na sua visão para lidar com o ambiente de mudança como a necessidade de habilidades de escrita que só vai aumentar com os novos meios de comunicação digital e os desafios de inovar para empresários empreendedores. Para ajudar as pessoas a construir essas habilidades e se conectar à comunidade,as redes sociais e entender que somos uma grande teia de criadores,cuja competência e expertise, visa alinhar todos os elementos da organização, a partir de uma nova missão/ visão, e valores; através de programas e eventos de metas e objetivos específicos.
    Convidamos as pessoas de todas as origens para este mundo de palavras e artes sem fronteiras, e incentivar escritores e artistas criadores para examinar nossas preocupações humanas mais prementes. The Writer House,a casa do escritor existe para nos assustar e despertar nosso senso de urgência em sermos mais humanos - para ter certeza de que estamos totalmente acordado enquanto estamos vivos.

    ResponderExcluir
  5. Muito bom todos os comentários sobre a estância de Campos do Jordão, entretanto,a que mais gostei foi a dica para aqueles que gostam de cultura sobre a The Writer’s House ,a casa do escritor.Realmente é algo inovador em termos de Brasil e a escolha de Campos do Jordão para sediar este projeto inspirado num conceito igual americano e realmente a região está localizada entre diversas cidades literárias como Taubaté ,a capital da literatura infantil e a cidade de Monteiro Lobato.Também estive na Hub City -USA ,e pude ver o projeto literário da cidade Spartanburg, Carolina do Sul . Quando puder irei me inscrever no projeto brasileiro da The Writer’s House ,a casa do escritor em Campos do Jordão,e espero que me aceitem como escritora residente.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Fale conosco

CONFIRA TAMBÉM:

"Estômago", filme de primeira e locações em Curitiba

Sex and the City 2: Abu Dhabi x Marrakesh

221B Baker Street - o famoso endereço de Sherlock Holmes e Dr. Watson

Filme de viagem: "O Turista" no Hotel Danieli, em Veneza

Roma em "Comer, Rezar, Amar"

"007 - Cassino Royale" e as locações em Veneza

"O Código Da Vinci" em Paris e Londres

Verona e Siena em "Cartas para Julieta"